Barulho: Uma infância em músicas

Hey pessoas!! Como vão??

 

Que tal darmos uma pausa nos últimos lançamentos do mundo da música e voltarmos umas décadas atrás para eu poder contar para vocês sobre as músicas que mais marcaram minha infância?

Pois é, hoje, no dia das crianças, eu resolvi compartilhar com vocês um pouco de tudo o que eu cresci ouvindo e que acabou formando o meu gosto musical, do qual eu tenho bastante orgulho, hehehe…

Então, comecemos lá no início dos anos noventa, quando eu ainda não tinha autonomia para ouvir o que eu quisesse e ainda nem sabia do que gostava. Sempre que eu ouvia música, era porque meus pais estavam ouvindo. E se hoje em dia eu não consigo passar um dia sem ligar o som aqui de casa, é porque eles me ensinaram assim…

Bom, meus pais curtem samba e foi isso que eu cresci ouvindo. Hoje em dia eu prefiro outros ritmos, mas aqueles churrascos de domingo em família, onde o samba rolava solto, fizeram com que eu admirasse e respeitasse muito alguns nomes como Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Martinho da Vila e Fundo de Quintal…

Nos tais almoços de domingo, também rolava um pouco do bom e velho Samba Rock regado a histórias sobre a juventude dos meus pais…

Mas não era só isso, não! Meus pais tinham muitos discos de vinil e nós tínhamos um aparelho de rádio onde eles colocavam alguns desses Lp’s pra tocar. Nesses momentos, rolava o som de grandes nomes do MPB e da música soul brasileira…

E é claro que tinham alguns nomes internacionais…

Meu irmão chegou na adolescência e começou a ouvir coisas diferentes também. Foi com ele que eu aprendi a ouvir rap e black…

Um tempo depois, eu comecei a assistir à MTV e com ela descobri que minha formação era sambista, mas minha alma era roqueira… O ano era 1999 e eu conheci o Red Hot Chili Peppers…

Mais ou menos nessa época, eu conheci e perdi minha musa Cássia Eller…

Mais tarde, em 2002, um colega de sala estava se desfazendo de alguns cds e acabou de dando um bem interessante, de uma banda brasileira que tinha um som que mesclava rock, reggae e rap… E assim eu conheci o Charlie Brown Jr…

E foi a porta de entrada para minha fase roqueira! Veio a adolescência e com ela nomes como Foo Fighters, Linkin Park, Evanescence. Aliás, “Numb” foi a primeira letra de música em inglês que eu decorei…

Mas meu lado “black” nunca ficou esquecido… Em meados de 2003, uma certa estrela começava a entrar em ascensão e eu mal sabia o quanto ela viria a significar pra mim…

Teve até uma fase em que eu fiz aulas de break dance…

Cerca de 3 anos mais tarde, vieram Pitty, Nx Zero, Forfun, Strike, Fresno e uma adolescência regada a festivais de rock!

 

E o resto é história…

Hoje em dia eu ouço um pouco de tudo isso e muito mais. Todo esse meus passado musical é o motivo pelo qual hoje você encontra de Foo Fighters à Beyoncé, de System of a Down à Jorge Vercilo nas minhas playlists e isso é um orgulho que eu carrego e é grande responsável por quem eu sou hoje, afinal, a música foi o jeito que a gente encontrou de falar quando faltam palavras…

Agora digam aí, o que vocês ouviam quando eram crianças?

 

Por hoje é isso e keep exploring!

Assinaturas

bannerpostagemcoletiva

 

 

 

Anúncios