Barulho: Novidades Emicida

Hey pessoas!! Como vão??

 

Ano passado Emicida e sua turma fizeram o maior barulho no São Paulo Fashion Week com  o desfile da Yasuke, coleção da marca LAB que ele tem em sociedade com seu irmão, Evandro Fióti.

Eu lembro que, quando eu assisti o vídeo do desfile, fiquei doida pela música que serviu de trilha. Acontece que essa música não fazia parte da discografia do Emicida, mas o cara é tão incrível que escreveu e produziu uma faixa só para aquela ocasião!!!!!!

Sem mais delongas, se vocês ainda não conhecem, eu lhes apresento “Yasuke”:

Com uma letra forte, cantada numa cadência hipnotizante, Yasuke foi inspirada na vida do samurai negro de mesmo nome e cumpriu com maestria a improvável missão de misturar a África e o Japão.

Ela conta com uma qualidade muito comum nas músicas do Emicida: todas as letras do rapper são tão cheias de referências históricas e culturais, que você termina de ouvir já querendo pesquisar tudo o que ele falou para se aprofundar. Ele estuda e compõe músicas que enchem, não só os ouvidos, mas também a nossa mente. É como se a gente ficasse mais inteligente só por ouvi-las.

E como ele não veio a esse mundo a passeio, alguns dias antes de lançar Yasuke, Emicida lançou, em parceria com o SOS Mata Atlântica o clipe em 360° de “Casa”. Uma das minhas músicas favoritas de seu álbum mais recente:

O clipe foi lançado para celebrar os 30 anos do SOS Mata Atlântica, um projeto que protege o Bioma Mata Atlântica, que é tão importante para a “saúde” do mundo. Para saber mais sobre, clique aqui.

E não tinha como ser melhor. Com um clipe todo tecnológico, que pode ser visto em 360° e em Realidade Virtual, a mensagem de que a Mata Atlântica é o nosso lar não poderia ficar mais clara. E se somarmos a isso o refrão da música, que é um dos que eu mais gosto, aí é só amor!

Lembram que eu falei ano passado para ficarmos de olho no Emicida em 2017? Bom, com esses dois lançamentos de arrasar em tão pouco tempo, parece que eu estava certa, né?

E aí, gostou mais de qual das duas músicas? Eu ainda não consegui me decidir…

 

Por hoje é isso e keep exploring!

assinaturajubs

 

Anúncios

Barulho: Novidades Lady Gaga e Fergie

Hey pessoas!! Como vão??

 

Enquanto houver 2016, vai ter artista lançando coisa nova, sim! E hoje é dia de falar dos mais recentes lançamentos de duas divas do pop!

A primeira delas é a Fergie, que decidiu seguir um rumo totalmente oposto ao que nós vimos em “M.I.L.F.$”… Com uma pegadinha mais pop e mais parecida com o que estamos acostumados a ouvir, ela lançou há alguns dias “Life Goes On”.

Era esse o tipo de coisa que eu estava esperando quando soube que a Fergie ia voltar! “M.I.L.F.$.” foi uma tentativa até que válida, mas convenhamos, era apelativa demais. Já “Life Goes On” tem frescor, mas com aquele leve aroma de músicas que a gente já conhece e ama, como “Big Girls Don’t Cry”…

Enfim, sabe como eu sei que gostei de uma música? Quando o refrão dela fica na cabeça mesmo depois de um tempo que eu ouvi e foi o caso aqui… Achei uma boa pedida para as nossas playlists de verão… #ficadica

Agora, numa pegada mais deprêzinha, mas totalmente maravilhosa, temos a Mother Monster que você mais respeita. Lady Gaga apresenta: “Million Reasons”!

No caso de Gaga, a música em si não é novidade, já que ela vinha apresentando-a em alguns pequenos shows que tem feito para divulgar a turnê, mas mano, que música boa do caramba!

Ela é crua, simples, dolorosa e linda! E não vou nem me dar ao trabalho de falar sobre a voz da Gaga, porque é só você ouvir para se arrepiar e entender… Sabe qual o nome disso, amigo? Qualidade! Artigo que anda bem em falta no mundo pop ultimamente…

O clipe é tipo uma continuação de “Perfect Illusion” e eu entendi que Gaga quis passar que depois de toda aquela explosão, veio o choque de realidade e, com ele, a depressão. Tenso, né?

Mas digam aí, o que vocês acharam das músicas? Qual das duas divas do pop se saiu melhor nas novidades?

 

Por hoje é isso e keep exploring!

Assinaturas

Barulho: Emicida – Mandume

Hey pessoas!! Como vão??

 

Atenção porque o Barulho de hoje está quentinho, recém saído do forno!! É que foi lançado anteontem, dia 05 de dezembro, o mais novo clipe do Emicida!

A música da vez é Mandume, que conta com a colaboração mais do que especial dos outros rappers Drik Barbosa, Amiri, Rico Dalasam, Muzzike e Raphão Alaafin e, gente, abaixa porque lá vem tiro!

Ano passado, quando falei sobre o “Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa“, último álbum do Emicida de onde saiu Mandume, lembro que mencionei aqui que esta era umas das melhores músicas do álbum, com uma rima mais pesada do que a outra. Tem tanta verdade, tanta revolta nela que eu não imaginei que eles fossem se atrever a fazer um clipe…

Mas eles foram lá e fizeram! E o resultado foi esse aqui:

“A história de ‘Mandume’ fala sobre resistir e vencer. Esses pontos são comuns na vida de muitos brasileiros e brasileiras. Todos os dias, há tempos, o que fazemos é sacudir a poeira e dar a volta por cima. Tenho um sonho antigo, de a TV e o entretenimento em geral serem um espelho das calçadas. Sempre produzimos vídeos pensando nisso, e ‘Mandume’, com a Gabi Jacob, vem na mesma pegada. Estou muito feliz por cada uma das participações no projeto, cada uma das pessoas ali é um universo de criatividade e força incrível, trazendo uma homenagem à altura ao grande rei Mandume e a cada um dos que resistem dia após dia nas ruas desse mundão!” (Texto tirado do site do Emicida)

Representatividade, meus amigos!! Racismo, feminismo, homossexualidade, religião, escravidão, herança cultural, resistência… Tá tudo aqui e colocado de uma maneira tão incrível, tão honesta que eu sentia arrepios percorrendo meu corpo a cada minuto desse clipe. A música sozinha já tinha esse efeito, mas com o clipe, ele foi elevado à décima potência!!

Para mim, o destaque ficou por conta da parte da Drik Barbosa! As rimas dela foram certeiras, afiadas e completas. Por ser a única mulher que canta na faixa, me deu um orgulho imenso de ver que ela foi, definitivamente, a que rimou melhor.

drikbarbosa

Para tornar as coisas ainda melhores, o clipe de Mandume ainda serve de fashion film da Yasuke, linha da marca Lab do Emicida e de seu irmão Evandro Fióti. Aí, você não só fica de cara com a mensagem passada, como também fica babando pelos looks exibidos… Só amor aqui!

E se por acaso você estiver curioso para saber como foi o desfile da Lab que deu o que falar no SPFW, confira o vídeo abaixo e comprove que todo o sucesso foi mais que merecido!

E aí, curtiram a novidade? Pra mim, foi a prova de que 2016 não foi um completo desperdício…

 

Por hoje é isso e keep exploring!

Assinaturas

Barulho: Nicki Minaj – Black Barbies

Hey pessoas!! Como vão??

 

O Barulho de hoje foi lançado há cerca de uma semana, mas eu segurei para postar aqui porque acho que ele tinha muito a ver com a Semana da Consciência Negra que estava planejando fazer.

É o seguinte: depois da vitória de Donald Trump nas eleições à Presidência dos Estados Unidos, muito artistas se manifestaram, alguns contra, outros a favor.

Lady Gaga, Katy Perry, Miley Cyrus e outros protestaram nas redes sociais e fora delas, mas quem aproveitou o calor do momento e foi correndo transformar sua frustração em arte???

Siiim, ela, a mais popozuda do rolê, a rainha do Rap: Nicki Minaj!!

Em um momento que veio bem a calhar, Nicki lançou “Black Barbies”:

 

A música é uma versão de “Black Beatles“, de Rae Sremmud, aquela música que embala os “Mannequin Challenges”, sabe? Nela, Nicki aproveita a batida para alfinetar o novo presidente eleito dizendo que ele quer botá-la para fora do país pegando-a pelo braço como se fosse uma casquinha de sorvete…

Eu sei que não deve passar de uma versão feita para passar uma mensagem e que dificilmente essa música vai ter clipe, mas bem que seria legal ver Nicki botando para quebrar de novo, isso seria né?

A letra completa e tradução da música você confere aqui.

E aí, curtiu a surpresa da Nicki?

 

Por hoje é isso e keep exploring!

Barulho: Trilha Sonora de Sol Nascente

Hey pessoas!! Como vão??

 

Sabe quando você vai assistir um filme e ele é meia-boca, mas a trilha sonora é incrível? Pois bem, isso é meio o que acontece com a nova novela das 18h da Globo, Sol Nascente.

A novela é meio morna, meio insossa e eu mal paro para ver. Mas quando as músicas começam a tocar, já é mais do que suficiente para chamar minha atenção.

Entre covers maravilhosos, clássicos e músicas novas que a gente já adora, vamos descobrir do que mais é feita essa trilha sonora??

 

Roberta Campos – Minha Felicidade

Caramba! Que música gostosa! Essa é a música da abertura da novela. Ela tem aquele climinha de praia, de verão e me faz cantar toda vez que toca…

 

Jammil – Sublime

Mais uma música-tema da novela que também tem vibes praia, sol e muita paz… #VemVerão

 

Jamz – Can’t Take My Eyes Off You

Tema do casal principal, Mario e Alice, essa daqui foi daquelas surpresas que, com certeza, vão parar nas minhas playlists! Quem aí se lembra do Heath Ledger naquela cena icônica de “10 Coisas Que Eu Odeio Em Você”? Essa versão da banda Jamz é tão boa quanto…

 

Charles Bradley – Changes

Tema de Mario, personagem do Bruno Gagliasso, essa música tem tudo a ver com a pegada motoqueiro roqueiro do personagem, né? Vale a pena até dar uma olhada em outras músicas do Chales Bradley, que também são muito boas…

 

Mayer Hawthorne – Get You Back

Essa aqui é tema do vilão César e tem uma pegada bem sexy…

 

Moby – Don’t Love Me

Essa é para aquelas cenas de transição, sabe? Mas não deixa de ser maravilhosa…

 

Coldplay – Adventure of a Lifetime

Essa daqui nem precisa falar nada, né? ❤

 

Tiago Iorc – Coisa Linda

Opa! Essa daqui é tema da Milena, personagem da Giovanna Lancelotti, e tem Tiago Iorc na trilha, já tem meu respeito! ❤

 

Cássia Eller – Lanterna dos Afogados

Mais uma versão! Minha musa Cássia arrebentando no clássico dos Paralamas do Sucesso….

 

E por aí vai… Gente, é tanta música boa que se eu continuasse, esse post ia ficar enoooorme… Mas se você estiver muito afim, pode conferir a trilha completa aqui.

 

Por hoje é isso e keep exploring!

Assinaturas

Barulho: Novidades Maroon 5, Nick Jonas & Bruno Mars

Hey pessoas!! Como vão??

 

Cá estou eu em mais uma quarta-feira para compartilhar com vocês minhas mais recentes descobertas musicais e cara, se você for como eu, que não consegue ouvir uma música boa que já fica com vontade de dançar e cantar junto, nem abre este post no trabalho porque eu te garanto que você vai pagar mico… A menos que você trabalhe com dança, porque aí tudo bem… 😉

Acontece, pessoas lindas do meu coração, que os gringos estão caprichando demais nos lançamentos e está ficando cada vez mais difícil de acompanhar! Sério, só semana passada foram tantas porradas que eu estou tendo que anotar no Evernote para não esquecer de postar aqui… #truestory

Anyway, vamos começar? Como não há músicas ruins nesse post, pelo menos na minha opinião, vou começar do bonzinho para o fod@stico, beleza? Porque assim, quando eu terminar este post, vocês não vão estar se aguentando nas cadeiras de vontade de sair dançando…

Hey ho, let’s go?

 

Maroon 5 – Don’t Wanna Know

Com um clipe engraçadíssimo (principalmente se você entende os diálogos em inglês) que satiriza Pokemon Go, os caras do Maroon 5 iniciam este post nos apresentando seu mais novo single.

A música não é ruim. Mas não é “certa”, sabe? Não tem encaixe, não tem pegada e porra, cadê os instrumentos? Parece que é só o Adam Levine cantando em cima de uma batida muito bem produzida em algum equipamento bem caro e isso não é problema, principalmente quando se é uma banda pop, mas mano, é uma banda! Cadê o resto dos caras?

Eu repito: a música não é ruim. Depois da terceira “ouvida” eu já estou até cantando o refrão, mas a “falta de banda” não deixou de me incomodar, principalmente se, depois de ouvir “Don’t Wanna Know”, você for masoquista o suficiente para ir lá e ouvir “Sunday Morning” para comparar… Ou nem precisa ir muito longe, “Sugar” é mais recente e já mostra bem essa diferença.

 

Nick Jonas – Voodoo

Melhorando as coisas, vem o gatíssimo do Nick Jonas com sua “Voodoo”. Eu não tenho muito o que falar sobre essa música, a não ser que ela é muito, mas muito boa mesmo, a voz do Nick está só melhorando com o tempo e a batida é incrível e muito envolvente (especialmente se você estiver usando um fone de ouvido).

Nota 10, Nick! E de quebra, o clipe foi muito bem feito! Os efeitos especiais estão excelentes, não deixando espaço para a apelação tão presente nos clipes de hoje em dia. Querem um exemplo? O clipe novo do DNCE, banda do Joe Jonas, irmão no Nick. Vejam e tirem suas próprias conclusões…

 

Bruno Mars – 24K Magic

Agora, afaste os móveis e pode começar a se alongar, porque eu deixei o melhor para o final!

Caramba, caramba, caramba! Se você achou que não dava para ficar melhor depois da participação do Bruno em “Uptown Funk“, sinto lhe informar que você estava errado!

Acho que o mais incrível dessa música é a pegada moderna, mas com um “quê” meio Motown. É como se o Bruno olhasse para o cenário musical atual e dissesse: “olha, bacana isso que vocês estão fazendo, mas deixa eu mostrar minhas referências pra vocês e como eu sei usá-las para fazer algo novo”. É retrô e é fresh, tudo ao mesmo tempo!

E o clipe só serve para coroar porque, pra mim, clipe bom é aquele que te faz querer estar dentro dele! Sério… Depois desse clipe eu quero viajar para Las Vegas! #real #oficial

 

Bom, espero que vocês tenham gostado das novidades! Se concordarem comigo ou discordarem completamente, deixem nos comentários pra gente conversar, beleza?

 

Por hoje é isso e keep exploring!

Assinaturas

Barulho: Uma infância em músicas

Hey pessoas!! Como vão??

 

Que tal darmos uma pausa nos últimos lançamentos do mundo da música e voltarmos umas décadas atrás para eu poder contar para vocês sobre as músicas que mais marcaram minha infância?

Pois é, hoje, no dia das crianças, eu resolvi compartilhar com vocês um pouco de tudo o que eu cresci ouvindo e que acabou formando o meu gosto musical, do qual eu tenho bastante orgulho, hehehe…

Então, comecemos lá no início dos anos noventa, quando eu ainda não tinha autonomia para ouvir o que eu quisesse e ainda nem sabia do que gostava. Sempre que eu ouvia música, era porque meus pais estavam ouvindo. E se hoje em dia eu não consigo passar um dia sem ligar o som aqui de casa, é porque eles me ensinaram assim…

Bom, meus pais curtem samba e foi isso que eu cresci ouvindo. Hoje em dia eu prefiro outros ritmos, mas aqueles churrascos de domingo em família, onde o samba rolava solto, fizeram com que eu admirasse e respeitasse muito alguns nomes como Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Martinho da Vila e Fundo de Quintal…

Nos tais almoços de domingo, também rolava um pouco do bom e velho Samba Rock regado a histórias sobre a juventude dos meus pais…

Mas não era só isso, não! Meus pais tinham muitos discos de vinil e nós tínhamos um aparelho de rádio onde eles colocavam alguns desses Lp’s pra tocar. Nesses momentos, rolava o som de grandes nomes do MPB e da música soul brasileira…

E é claro que tinham alguns nomes internacionais…

Meu irmão chegou na adolescência e começou a ouvir coisas diferentes também. Foi com ele que eu aprendi a ouvir rap e black…

Um tempo depois, eu comecei a assistir à MTV e com ela descobri que minha formação era sambista, mas minha alma era roqueira… O ano era 1999 e eu conheci o Red Hot Chili Peppers…

Mais ou menos nessa época, eu conheci e perdi minha musa Cássia Eller…

Mais tarde, em 2002, um colega de sala estava se desfazendo de alguns cds e acabou de dando um bem interessante, de uma banda brasileira que tinha um som que mesclava rock, reggae e rap… E assim eu conheci o Charlie Brown Jr…

E foi a porta de entrada para minha fase roqueira! Veio a adolescência e com ela nomes como Foo Fighters, Linkin Park, Evanescence. Aliás, “Numb” foi a primeira letra de música em inglês que eu decorei…

Mas meu lado “black” nunca ficou esquecido… Em meados de 2003, uma certa estrela começava a entrar em ascensão e eu mal sabia o quanto ela viria a significar pra mim…

Teve até uma fase em que eu fiz aulas de break dance…

Cerca de 3 anos mais tarde, vieram Pitty, Nx Zero, Forfun, Strike, Fresno e uma adolescência regada a festivais de rock!

 

E o resto é história…

Hoje em dia eu ouço um pouco de tudo isso e muito mais. Todo esse meus passado musical é o motivo pelo qual hoje você encontra de Foo Fighters à Beyoncé, de System of a Down à Jorge Vercilo nas minhas playlists e isso é um orgulho que eu carrego e é grande responsável por quem eu sou hoje, afinal, a música foi o jeito que a gente encontrou de falar quando faltam palavras…

Agora digam aí, o que vocês ouviam quando eram crianças?

 

Por hoje é isso e keep exploring!

Assinaturas

bannerpostagemcoletiva