Grupo “Vai Um Café?”: Por que/ Para quem eu escrevo? #PostagemColetiva

Hey pessoas!! Como vão??

 

Olha quem está de volta depois de looongas férias!!! \o/\o/\o/

É gente, não teve jeito. 2016 foi um ano tão complicado que eu precisei tirar um tempo de folga para me recompor (e quem não precisou?) e botar as ideias no lugar.

Era pra ser só por alguns dias, mas eu aproveitei o tempo para repensar alguns itens do design do blog (gostaram?) e criar conteúdo novo e fresquinho para vocês! Yay!

Mas enfim, 2017 está aqui, com direito até a gravidez da Queen Bey e, se até ela está trabalhando, quem sou eu pra ficar de bobeira, né?

E como primeira postagem de 2017, hoje não vai ter playlist, não. Mas em compensação vai ter post feito em conjunto com a galera esperta do “Vai Um Café?”!!

Você já parou para pensar por que o seu blogueiro ou blogueira, autor ou autora favorito (a) escreve? Qual a motivação por trás de uma pessoa que decide colocar suas ideias e sentimentos no papel ou na tela de um computador? Como eles fazem para superar a vergonha de divulgar seus trabalhos?

Bom, eu só posso falar por mim, mas escrever é uma forma de organizar os sentimentos, fazendo com que fique mais fácil compreendê-los.

A vida é corrida, as coisas não são fáceis, temos decisões a tomar, escolhas a fazer, partidos para tomar, é muita informação o tempo todo sendo jogada em cima de nós… Você às vezes não sente que sua cabeça poderia explodir?

Pois é, amigo, quando eu sinto isso sabe o que eu faço? Eu escrevo.

E o mais engraçado é que eu nem me lembro de quando comecei a usar a escrita como válvula de escape para as agonias do cotidiano. Quando dei por mim, já tinha diários e cadernos e arquivos no computador cheios de ideias aleatórias.

Tem um poema do Paulo Leminski que representa bem minha relação com a escrita:

“Razão de ser

Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece.
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?”

Quando leio este poema, eu entendo que Leminski quis dizer que, da mesma forma que uma aranha tece teias porque é isso que ela faz, ele escreve porque é isso o que ele faz. É como se ele dissesse que a escrita é uma coisa tão natural para ele, que não tem razão de ser. Apenas acontece, como um reflexo.

E é assim que eu me sinto, sabe? Eu escrevo porque é isso que eu faço, é isso que eu sou.

Quanto à parte do “para quem eu escrevo”, lembro que o primeiro post do blog falou um pouco sobre isso. Lá, eu dizia que, se apenas uma pessoa se interessasse pelo que eu tinha a dizer, então era para essa pessoa que eu escreveria.

Hoje, quase três anos depois, nada mudou. É claro que uma parte de mim quer o reconhecimento, quer ver cada vez mais pessoas se beneficiando de tudo aquilo que eu trabalho tão duro para colocar aqui de uma maneira legal, quer, quem sabe um dia, publicar até um livro. Mas tem outra parte, a parte que escreve por reflexo, que não se importa se ninguém ler. Ela só quer botar em palavras o que não cabe mais no coração…

Escrever é e sempre será, para mim, talvez o lado mais importante de todos os lados que compõem quem eu sou.

E com isso dito, tudo o que vocês podem esperar é que venha muita coisa boa por aí nesse 2017 que mal começou e eu já considero pakas…

Por hoje é isso e keep exploring

bannerpostagemcoletiva

assinaturajubs

Anúncios

26 comentários sobre “Grupo “Vai Um Café?”: Por que/ Para quem eu escrevo? #PostagemColetiva

  1. Nossa que engraçado ler isso em seu blog, pois eu me identifiquei muito com o que escreveu. Com certeza escrever é um reflexo e quando vemos já estamos ali colocando para fora tudo aquilo que ficou preso em nós. Nos abrimos para o mundo e ele como resposta se abre para gente também. É totalmente uma questão de ser.

    Curtido por 1 pessoa

    • Pois é! E isso é tão lindo, né Clara!?! E faz um bem danado pra cabeça!
      Pode perceber que quem escreve, geralmente tem uma visão mais ampla da vida e do mundo, porque para compreender o outro, primeiro é preciso olhar pra dentro de si!

      Beijo 😉

      Curtir

    • Fala sério, esse poema é muito a nossa cara, né?
      Pois é, fazer a diferença através das palavras, mesmo que seja na vida de uma só pessoa, já vale todas as horas tentando escolher as palavras certas para passar nossa mensagem!
      Beijo 😉

      Curtir

  2. Lindo, lindo. Citar Leminski já ganhou meu coração antes de terminar de ler o texto. Que 2017 seja um ano maravilhoso para nós, que muita coisa linda aconteça e que muito textos surjam e sei que você é uma pessoa que tem muita coisa boa para dizer e ensinar para todas nós. Beijão, Jubs.

    Curtido por 2 pessoas

  3. Mulher forte, orgulho de ser tua amiga virtual (por enquanto!).
    Temos muito mais do que imaginamos em comum, Jubs.
    Sinto que escrever é o que esvazia a minha cabeça quando ela está prestes a explodir!
    É a atividade perfeita pra assimilar e processar toda a informação que a gente recebe todos os dias.

    Você é foda! (só pra reforçar) HAHAHAHAHAHH

    Curtido por 1 pessoa

  4. Adorei esse post e ainda mais por falar em café… também porque me fez pensar no ‘para quem eu escrevo’… acho que escrevo para mim, numa espécie de diálogo, como se ao ler meu post, pudesse escutar essa minha voz que nem sempre que deixar a minha boca. Escrever é isso, tatuar a pele no escuro. rá

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s