Tim Maia – O Filme

Hey pessoas!! Como vão??

 

Normalmente, eu gosto de postar resenhas de filme às quintas-feiras, assim como as resenhas de livros mas esse filme me empolgou tanto que eu precisava compartilhar com vocês.

Na minha casa sempre rolou música de boa qualidade. Meus pais sempre me deram a liberdade para ouvir o que eu quisesse (tanto que aos quinze anos eu virei roqueira sendo que a minha família é de sambistas), mas sempre me mostraram o que eles costumavam ouvir quando eram mais jovens. O mais legal é que, nos churrascos em família, algumas músicas antigas que tocavam sempre rendiam histórias sobre a juventude deles em plenos anos 70 e isso me fazia gostar mais e mais dessas músicas. Com o tempo, eu fui aprendendo a mesclar os artistas modernos que eu gosto com aqueles que aprendi a gostar por causa dos meus pais. Meu maior orgulho é ser capaz de montar uma playlist que vá de Jorge Ben Jor até Foo Fighters sem problemas…

Pois bem, esse fim de semana eu fui com mamis e papis assistir o filme do Tim Maia (talvez o artista da época dos meus pais que eu mais gosto) e cara… Tô mexida até agora com esse filme!!

“Mais grave, mais agudo, mais eco, mais retorno, mais tudo!” O grito de guerra de Tim Maia ainda ecoa nas festas de todas as gerações, idades e classes sociais, onde sua música é sinônimo de alegria e romance. Transgressor, amoroso e debochado, Tim se consagrou como um dos artistas mais queridos e respeitados da música brasileira. Desde a adolescência, quando desembarcou em Nova York sem falar uma palavra em inglês, Tim Maia sempre fez o que queria, com quem e quando queria, e pagou um preço alto por sua liberdade. Mas, depois de sua passagem, a música brasileira nunca mais foi a mesma.

 

Bom, quando o Tim Maia morreu eu tinha cerca de 8 anos de idade, lembro vagamente da minha família e eu assistindo ao jornal e recebendo a notícia e é só. Lembro também que eu sempre gostei da introdução de “Sossego”. Aquele baixo meio funkeado e aquele balanço mexiam comigo desde criança e eu sabia que aquilo ali era música da boa!

Eu não consegui ver o musical do Tim Maia no teatro então, quando eu fiquei sabendo que teria um filme já fiquei toda empolgada! Quando a data de estreia saiu então, eu sur-tei!

E que filme foi esse?? Eu adorei! Sério, eu já tô pensando em ir assistir de novo de tanto que eu adorei!

O filme conta a trajetória de vida do cantor, desde a sua infância humilde na Barra da Tijuca/RJ, passando pela sua estada “vida loka” nos EUA, sua fase religiosa, sua fase mais obscura e a volta por cima. Aliás, se a expressão “vida loka” estivesse no dicionário, teria a foto do Tim Maia ao lado porque o cara manjava dos paranauê da vida loka… Infelizmente, como vários outros gênios da música, o Tim bebia muito e consumia muitas drogas.

Li algumas críticas falando mal porque o filme não captava o jeito espirituoso e engraçado do Tim mas eu descordo totalmente… Você ri o filme inteiro das falas e do jeito desbocado dele, até a maneira que ele falava palavrão era engraçada! Gostei principalmente da maneira natural com a qual os atores que dividem o papel de Tim (Robson Nunes na juventude e Babu Santana na fase adulta) atuaram. Eles parecem ter submergido com força na personalidade dele e eu posso dizer com certeza que esse foi o melhor filme biográfico que eu já vi!

A caracterização, a forma que a história é contada, as falas, as músicas… Tudo é tão intenso e tão verdadeiro que eu fiquei vidrada vendo esse filme, nem vi o tempo passar e fiquei com um gostinho de quero mais. Uma vontade de ter vivido aquela época, de ter conhecido ele pessoalmente… Palmas para a equipe porque esse filme foi visivelmente feito com amor. É um filme que te faz rir, chorar, dançar na cadeira e ficar arrepiado! O filme também conta com a atuação de Cauã Reymond como o cantor Fábio Fabiano, amigo do Tim e narrador da história. No elenco também tem Alinne Moraes fazendo o papel de Janaína (que na vida real se chamava Geisa, esposa do Tim) e George Sauma (o Tatalo de Toma Lá, Dá Cá) como o Roberto Carlos!

Só achei que faltou falar mais das apresentações dele nos programas de televisão da época, como o Cassino do Chacrinha, por exemplo… E a atuação do George Sauma como Roberto Carlos ficou mais parecendo uma imitação do Zorra Total, o que é uma pena porque eu adoro o George…

Anyway, recomendo muito este filme para todo mundo, para vocês conhecerem um pouco mais sobre esse cara que, além de um gênio talentoso, era uma força da natureza.

Bom pessoas, é isso… Eu precisava dividir a experiência desse filme com vocês. Espero que vocês assistam e amem tanto quanto eu…

Agora vou deixar vocês com uma das minhas músicas favoritas do Tim pra animar a terça-feira de vocês!

 

Por hoje é isso e keep exploring.

balão2

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Tim Maia – O Filme

  1. Pingback: Top 5: Gostos que Herdei dos Meus Pais |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s